• Mário Antonio Marques Fascio

PF investiga deputado do Amapá por esquema fraudulento de R$ 1 milhão


Segundo a Polícia Federal, o parlamentar recebia valores da verba de gabinete como ressarcimento de serviços que, na verdade, não eram prestados.


A Polícia Federal cumpriu neste sábado (27) 15 mandados de busca e apreensão em Macapá no âmbito da Operação En Passant, que investiga um esquema fraudulento no gabinete do deputado estadual Dr. Alberto Negrão (foto), do PP, que teria desviado R$ 1 milhão.

Em maio, o TRE do Amapá já havia determinado o afastamento do parlamentar, em razão de “rachadinha” no gabinete dele, mas seus pares na Assembleia Legislativa derrubaram a decisão. Agora, o Tribunal de Justiça do estado impôs nova ordem de afastamento do deputado.


Segundo a investigação da PF, havia um esquema de desvio de verbas do gabinete por meio da emissão de notas fiscais frias, a partir das quais o parlamentar era ressarcido por serviços não realizados. As empresas eram de ramos como locação de veículo, escritórios de contabilidade e advocacia e serviços de comunicação social.

Ainda de acordo com a PF, uma das empresas que emitia as notas frias pertence ao marido de uma funcionária do deputado estadual.

16 visualizações0 comentário