• Mário Antonio Marques Fascio

Justiça E Receita Procuram Noiva De Lula Para Cobrar Dívidas

Atualizado: 18 de abr.

Janja tem 111 mil reais inscritos na Dívida Ativa da União e é alvo de cobrança de 109 mil reais da Caixa Econômica


A socióloga Rosângela da Silva, a Janja, noiva do ex-presidente Lula, é alvo de ações na Justiça Federal e no Tribunal de Justiça do Paraná de cobrança de dívidas que, somadas, já totalizariam mais de 220 mil reais. Em um dos processos, a Caixa Econômica Federal cobra 109 mil reais da companheira do petista. A informação foi divulgada nesta terça-feira (29) pela revista Veja.

De acordo com a publicação, em um dos processos contra a socióloga, que tramita desde 2018 no Tribunal de Justiça do Paraná, um condomínio de Curitiba cobra 3,7 mil reais de Janja referentes a prestações atrasadas de condomínio. Na ação de cobrança, um oficial de Justiça informou em fevereiro que não ela não foi localizada na capital paranaense para ser notificada.

Além da Justiça, Janja está com o nome inscrito na Dívida Ativa da União, onde a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional inscreveu o nome dela com débitos que somam 111 mil reais. As dívidas em questão estariam associadas, segundo a Veja, ao Imposto de Renda. A página da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional não detalha qual tipo de irregularidade teria sido praticada.

Entretanto, não é apenas Janja que possui o nome inscrito na Dívida Ativa da União. O companheiro dela, o ex-presidente Lula, aparece na lista com débitos que somam 1,3 milhão de reais. O Instituto Lula, por sua vez, deve mais 18 milhões de reais. Lula também responde a dois processos na Justiça, movidos pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional.

Por meio da assessoria, Janja informou que a dívida com a Caixa Econômica Federal está em fase de negociação. Já o débito junto à Receita, informou a socióloga, trata de “questões particulares com tratativas negociais normais”. A pendência com o condomínio, segundo ela, já foi resolvida.

Fonte: Justiça e Receita procuram noiva de Lula para cobrar dívidas - ContraFatos


0 visualização0 comentário