• Mário Antonio Marques Fascio

Filho relata à polícia momentos antes de policial penal ser assassinado com facada no pescoço






Adolescente, de 14 anos, revelou à polícia como sua mãe, de 42 anos, assassinou com uma facada no pescoço seu pai, o policial penal José Éder, de 44 anos.



O filho do policial penal José Éder Ferreira Gonçalves, de 44 anos, que foi morto com uma facada no pescoço pela companheira, Maria Darci Farias, de 42 anos, confirmou em depoimento ao delegado Luiz Carlos, da Delegacia de Homicídios, que sua mãe trancou o apartamento para impedir que Éder deixasse o local, o que acabou gerando a briga conjugal.

O crime ocorreu na manhã de sexta-feira (12) no interior do apartamento nº 102, bloco 15, Rua 2 do conjunto habitacional Vitória Régia, bairro São Lázaro, zona norte de Macapá.

O garoto, de 14 anos, afirmou que seus pais estavam em processo de separação, e que o policial penal não estava morando na residência atualmente. O filho do casal confirmou que sua mãe havia pedido para que José Éder dormisse no imóvel na noite de quinta-feira (11), o que foi atendido pelo policial penal. Mas, que ao se arrumar para deixar o local na manhã de sexta-feira (12), acabou impedido por Darci.

“O marido já estava afastado de casa. Ele volta à residência a pedido da esposa, dorme na residência e pela manhã, quando se prepara para ir embora trabalhar, acaba sendo impedido pela companheira que tranca a casa. A partir daí, começou uma discussão entre os dois com ele [Éder] dizendo que não queria mais permanecer no relacionamento com ela. Nesse momento, ela [Darci] se arma com a faca. Ele ainda tentou se defender, mas acaba lesionado no pescoço de forma letal”, disse o delegado.


Delegado Luiz Carlos preside inquérito


O presidente do inquérito relatou que a mulher apresentou outra versão para o crime, afirmando que foi o policial penal quem trancou o apartamento para impedi-la de sair.

“Ela afirmou que foi ele [Éder] quem trancou a casa, impedido a saída dela. E ela, por estar num momento de depressão, se armou com a faca, tentando se matar. A esposa disse ainda no depoimento que o policial penal tentou desarmá-la, impedindo a ação, mas que acabou lesionado durante a luta corporal”, revelou.

Segundo Luiz Carlos, a versão da investigada acaba desconstruída pelo depoimento do filho do casal, que passa a ser peça-chave na investigação. Darci Farias estava com audiência de custódia agendada para o final da tarde deste sábado (13).

32 visualizações0 comentário